Fonte Maior Fonte Padrão Fonte Menor
06 Ago 2010
Pastor é contra a ordenação feminina. Para ele, isso não tem base bíblica
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Pastorais e Estudos, Reportagens, Mulher

 

Escrito por Milton Alves    
Qui, 29 de Julho de 2010 11:35

As mulheres estão cada vez mais em busca de seu espaço no mercado de trabalho e no ministério pastoral, mas para o reverendo Augusto Nicodemos as mulheres não devem assumir cargos de liderança cristã. No artigo ele não legitima tal posição. Na carta, endereçada a uma bispa Evônia - nome fictício -, ele coloca oito pontos que servem de argumento a sua decisão. Entre os quais que a liderança da igreja foi entregue pelo Senhor Jesus e por seus apóstolos a homens cristãos qualificados.

" E este padrão, claramente encontrado na Bíblia, vale como norma para nossos dias, pois se baseia em princípios teológicos e não culturais." Confira o artigo na íntegra:

Carta à Bispa Evônia*

[*Nota - é mais uma carta fictícia, gênero que uso como maneira de tornar as minhas idéias mais interessantes para o leitor. Minha esposa não tem (ainda) nenhuma amiga que virou bispa.]

Minha cara Evônia,

Minha esposa me falou do encontro casual que vocês duas tiveram no shopping semana passada. Ela estava muito feliz em rever você e relembrar os tempos do ginásio e da igreja que vocês frequentavam. Aí ela me contou que você foi consagrada pastora e depois bispa desta outra denominação que você tinha começado a frequentar. Ela também me mostrou os e-mails que trocaram sobre este assunto, em que você tenta justificar o fato de ser uma pastora e bispa, já que minha esposa tinha estranhado isto na conversa que tiveram. Ela me pediu para ler e comentar seus argumentos e contra-argumentos. Não pretendo ofendê-la de maneira nenhuma - nem mesmo a conheço pessoalmente. Mas faço estes comentários para ver se de alguma forma posso ser útil na sua reflexão sobre ter aceitado o cargo de pastora e de bispa.

Acho, para começar, que você ser bispa vem de uma atitude de sua comunidade para com as Escrituras, que equivale a considerá-la condicionada à visão patriarcal e machista da época. Ou seja, ela é nossa regra, mas não para todas as coisas. Ao rejeitar o ensinamento da Bíblia sobre liderança, adota-se outro parâmetro, que geralmente é o pensamento e o espírito da época.

E é claro, Evônia, que na nossa cultura a mulher - especialmente as inteligentes e dedicadas como você - ocupa todas as posições de liderança disponíveis, desde CEO de empresas à Presidência da República - se a ou a Marina Dilma ganharem. Portanto, sem o ensinamento bíblico como âncora, nada mais natural que as igrejas também coloquem em sua liderança presbíteras, pastoras, bispas e apóstolas.

Mas, a pergunta que você tem que fazer, Evônia, é o que a Bíblia ensina sobre mulheres assumirem a liderança da igreja e se este ensino se aplica aos nossos dias. Não escondo a minha opinião. Para mim, a liderança da igreja foi entregue pelo Senhor Jesus e por seus apóstolos a homens cristãos qualificados. E este padrão, claramente encontrado na Bíblia, vale como norma para nossos dias, pois se baseia em princípios teológicos e não culturais. Reflita no seguinte.

1. Embora mulheres tenham sido juízas e profetisas (Jz 4.4; 2Re 22.14) em Israel nunca foram ungidas, consagradas e ordenadas como sacerdotisas, para cuidar do serviço sagrado, das coisas de Deus, conduzir o culto no templo e ensinar o povo de Deus, que eram as funções do sacerdote (Ml 2.7). Encontramos profetisas no Novo Testamento, como as filhas de Felipe (At 21.9; 1Co 11.5), mas não encontramos sacerdotisas, isto é, presbíteras, pastoras, bispas, apóstolas. Apelar a Débora e Hulda, como você fez em seu e-mail, prova somente que Deus pode usar mulheres para falar ao seu povo. Não prova que elas tenham que ser ordenadas.

2. Você disse à minha esposa que Jesus não escolheu mulheres para apóstolas porque ele não queria escandalizar a sociedade machista de sua época. Será, Evônia? O Senhor Jesus rompeu com vários paradigmas culturais de sua época. Ele falou com mulheres (Jo 8.10-11), inclusive com samaritanas (Jo 4.7), quebrou o sábado (Jo 5.18), as leis da dieta religiosa dos judeus (Mt 7.2), relacionou-se com gentios (Mt 4.15). Se ele achasse que era a coisa certa a fazer, certamente teria escolhido mulheres para constar entre os doze apóstolos que nomeou. Mas, não o fez, apesar de ter em sua companhia mulheres que o seguiam e serviam, como Maria Madalena, Marta e Maria sua irmã (Lc 8.1-2).

3. Por falar nisto, lembre também que os apóstolos, por sua vez, quando tiveram a chance de incluir uma mulher no círculo apostólico em lugar de Judas, escolheram um homem, Matias (At 1.26), mesmo que houvesse mulheres proeminentes na assembleia, como a própria Maria, mãe de Jesus (At 1.14-15) - que escolha mais lógica do que ela? E mais tarde, quando resolveram criar um grupo que cuidasse das viúvas da igreja, determinaram que fossem escolhidos sete homens, quando o natural e cultural seria supor que as viúvas seriam mais bem atendidas por outras mulheres (Atos 6.1-7).

4. Tem mais. Nas instruções que deram às igrejas sobre presbíteros e diáconos, os apóstolos determinaram que eles deveriam ser marido de uma só mulher e deveriam governar bem a casa deles - obviamente eles tinham em mente homens cristãos (1Tm 3.2,12; Tt 1.6) e não mulheres, ainda que capazes, piedosas e dedicadas, como você. E mesmo que reconhecessem o importante e crucial papel da mulher cristã no bom andamento das igrejas, não as colocaram na liderança das comunidades, proibindo que elas ensinassem com a autoridade que era própria do homem (1Tm 2.12), que participassem na inquirição dos profetas, o que poderia levar à aparência de que estavam exercendo autoridade sobre o homem (1Co 14.29-35). Eles também estabeleceram que o homem é o cabeça da mulher (1Co 11.3; Ef 5.23), uma analogia que claramente atribui ao homem o papel de liderança.

5. Você retrucou à minha esposa na troca de e-mails que nenhuma destas passagens se aplica hoje, pois são culturais. Mas, será, Evônia, que estas orientações foram resultado da influência da cultura patriarcalista e machista daquela época nos autores bíblicos? Tomemos Paulo, por exemplo. Será que ele era mesmo um machista, que tinha problemas com as mulheres e suspeitava que elas viviam constantemente tramando para assumir a liderança das igrejas que ele fundou, como você argumentou? Será que um machista deste tipo diria que as mulheres têm direito ao seu próprio marido, que elas têm direitos sexuais iguais ao homem, bem como o direito de separar-se quando o marido resolve abandoná-la? (1Co 7.2-4,15) Um machista determinaria que os homens deveriam amar a própria esposa como amavam a si mesmos? (Ef 5.28,33). Um machista se referiria a uma mulher admitindo que ela tinha sido sua protetora, como Paulo o faz com Febe (Rm 16.1-2)?

6. Agora, se Paulo foi realmente influenciado pela cultura de sua época ao proibir as mulheres de assumir a liderança das igrejas, o que me impede de pensar que a mesma coisa aconteceu quando ele ensinou, por exemplo, que o homossexualismo é uma distorção da natureza acarretada pelo abandono de Deus (Rm 1.24-28) e que os sodomitas e efeminados não herdarão o Reino de Deus (1Co 6.9-11)? Você defende também, Evônia, que estas passagens são culturais e que se Paulo vivesse hoje teria outra opinião sobre a homossexualidade? Pergunto isto pois em outras igrejas este argumento está sendo usado.

7. Tem mais, se você ainda tiver um tempinho para me ler. As alegações apostólicas não me soam culturais. Paulo argumenta que o homem é o cabeça da mulher a partir de um encadeamento hierárquico que tem início em Deus Pai, descendo pelo Filho, pelo homem e chegando até a mulher (1Co 11.3). Este argumento me parece bem teológico, como aquele que faz uma analogia entre marido e mulher e Cristo e a igreja, "o marido é o cabeça da mulher como Cristo é o cabeça da igreja" (Ef 5.23). Não consigo imaginar uma analogia mais teológica do que esta para estabelecer a liderança masculina. E quando Paulo restringe a participação da mulher no ensino autoritativo - que é próprio do homem - argumenta a partir do relato da criação e da queda (1Tm 2.12-14).

8. Você já deve ter percebido que para legitimar sua posição como bispa você teve que dar um jeito neste padrão de liderança exclusiva masculina que é claramente ensinado na Bíblia e na ausência de evidências de que mulheres assumiram esta liderança. Não tem como aceitar ser bispa e ao mesmo tempo manter que a Bíblia toda é a Palavra de Deus para nossos dias. E foi assim que você adotou esta postura de dizer que a liderança exclusiva masculina é resultado da cosmovisão patriarcal e machista dos autores do Antigo e Novo testamentos, e que portanto não pode ser mais usada em nossos dias, quando os tempos mudaram, e as mulheres se emanciparam e passaram a assumir a liderança em todas as áreas da vida. Em outras palavras, como você mesmo confirmou em seu e-mail, a Bíblia é para você um livro culturalmente condicionado e só devemos aplicar dele aquelas partes que estão em harmonia e consenso com nossa própria cultura. Eu sei que você não disse isto com estas exatas palavras, mas a impressão que fica é que você considera a Bíblia como retrógrada e ultrapassada e que o modelo de liderança que ela ensina não serve de paradigma para a liderança moderna da Igreja de Cristo.

Quando se chega a este nível, então, para mim, a porta está aberta para a entrada de qualquer coisa que seja aceitável em nossa cultura, mesmo que seja condenada nas Escrituras. Como você poderá, como bispa, responder biblicamente aos jovens de sua igreja que disserem que o casamento está ultrapassado e que sexo antes do casamento é normal e mesmo o relacionamento homossexual? Como você vai orientar biblicamente aquele casal que acha normal terem casos fora do casamento, desde que estejam de acordo entre eles, e que acham que adultério é alguma coisa do passado?

Sabe Evônia, você e a sua comunidade não estão sozinhas nessa distorção. Na realidade esse pensamento é também popularizado por seminários de denominações tradicionais e professores de Bíblia que passaram a questionar a infalibilidade das Escrituras, utilizando o método histórico crítico, ensinando em sala de aula que Paulo e os demais autores do Novo Testamento foram influenciados pela visão patriarcal e machista do mundo da época deles. Só podia dar nisso... na hora que os pastores, presbíteros e as próprias igrejas relativizam o ensino das Escrituras, considerando-o preso ao século I e irremediavelmente condicionado à visão de mundo antigo, a igreja perde o referencial, o parâmetro, o norte, o prumo - e como ninguém vive sem estas coisas, elege a cultura como guia.

Termino reiterando meu apreço e respeito por você como mulher cristã e pedindo desculpas se não posso me dirigir a você, em nossa correspondência pessoal, como "bispa" Evônia. Espero que meus motivos tenham ficado claros.

Um abraço,

Augustus

Transcrito de: LPC Comunicações


06 Ago 2010
Nem o rio Jordão escapa da poluição, que suspende batismos nas suas águas
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Reportagens

 
 Rio Jordão - Israel
 Local utilizado para batismos pelos peregrinos

Escrito por Milton Alves    
Seg, 02 de Agosto de 2010 09:27
 
ISRAEL - Ambientalistas afirmaram que o rio Jordão, onde Jesus foi batizado, está tão poluído que pode morrer no final do próximo ano a menos que que seja revitalizado. A denúncia foi feita pela associação Amigos da Terra/Oriente Médio, por meio de um comunicado. "Pedimos às autoridades regionais que cessem os batismos no baixo Jordão até que a qualidade da água esteja ali conforme as normas exigidas para as atividades turísticas".

A associação de defesa ambiental menciona a possibilidade de um risco sanitário. Até agora, o ministério israelense de Meio Ambiente não comentou as denúncias. Segundo a tradição cristã, Jesus foi batizado no local por João Batista, há mais de dois mil anos. O rio fica na região controlada pelo Exército israelense, que proíbe o acesso perto da cidade palestina de Jericó, na Cisjordânia.

Nos últimos anos, após pressões do ministério israelense do Turismo, o Exército tem autorizado a visita de peregrinos, por meio de solicitações especiais. Segundo a organização Amigos da Terra, Oriente Médio (FoEME, na sigla em inglês), o famoso rio foi reduzido a um "fio" de água ao sul do mar da Galileia, devido à superexploração, poluição e ausência da administração pública. As informações são do Discovery News.

Segundo os ambientalistas, mais de 98% do rio foi desviado por Israel, Síria e Jordânia ao longo dos anos. "O fluxo remanescente consiste principalmente de esgoto, peixes, água, resíduos da agricultura e água salina", diz o grupo.

O rio tem 217 km do mar da Galileia ao mar Morto e passa por Israel, Jordânia, Síria e Cisjordânia.

"Isto é o que é hoje a fonte do baixo rio Jordão", diz o diretor da FoEME para Israel, Gidon Bromberg, ao apontar para um cano que joga esgoto na água. "Ninguém pode dizer que isto é água sagrada. Ninguém pode dizer que é aceitável este estado para um rio com essa fama", diz.

A cerca de 100 quilômetros do local onde a organização fez o anúncio fica o local onde acredita-se que Jesus foi batizado. Todo o ano, milhares de turistas costumavam se banhar ali, apesar da alta poluição do local.

A reportagem afirma que as comunidades israelenses, jordanianas e palestinas que vivem ao longo do rio - cerca de 340 mil pessoas - jogam esgoto não tratado em suas águas. Ironicamente, parar de jogar o esgoto no rio - como planejado por Israel - pode ser ainda pior, a não ser que sejam tomadas medidas para reduzir sua salinidade. Segundo a organização, a solução está em jogar grandes quantidades de água limpa no rio, cerca de 400 milhões de m³.

O rio Jordão já foi responsável por liberar 1,3 bilhão de m³ de água por ano no mar, mas agora descarta algo estimado entre 20 milhões e 30 milhões de m³ por ano.

"Um novo estudo que nos patrocinamos revela que nós perdemos pelo menos 50% da biodiversidade dentro e ao redor do rio por causa do desvio quase total de água fresca", diz Munqeth Mehyar, diretor do FoEME para a Jordânia.

Segundo a organização, uma melhor administração do saneamento básico pode salvar 517 milhões de m³ de água por ano para Israel e 305 milhões de m³ para a Jordânia, que poderiam ser redirecionados para salvar o rio. Os benefícios também poderiam ser sentidos no mar Morto, que está secando.

Transcrito de: LPC Comunicações


12 Jul 2010
Day of Prayer for the Peace of Jerusalem
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Eventos, Comunicações, Pedido de Oração, Datas Celebrativas, Missões

The Day of Prayer for the Peace of Jerusalem

As the Bible said it would, Jerusalem has become a cup of controversy on the global stage today (Zech. 12:2-3).

RIGHT NOW… there are increasing threats from many nations against God’s covenant city, there are escalating tensions surrounding the inhabitants of the land of Israel, and there are ever-increasing global repercussions for all mankind because of the critical situation.

As these global challenges arise, however, GOD is present. His response has been to stir the hearts of Christians from China to Germany and from Kenya to Brazil, to raise their voices in fervent intercession with His Son, on behalf of Jerusalem and all her inhabitants, both Jew and Arab alike.

I am asking you today to join me in this global chorus of prayer.

We are weeks away from a powerful moment. On Sunday, October 3rd, tens of millions of Christians in literally every corner of this planet will unite for the Day of Prayer for the Peace of Jerusalem (DPPJ), a day specifically set aside by myself and more than 1,200 global leaders (click here to view a partial list of leaders).

YOU can make your presence felt and pray for God´s power and His peace to flood the streets of Jerusalem by doing three simple things:

1. Become the DPPJ Representative at your local church.

The DPPJ is NOT a single location event but rather a worldwide celebration day when LOCAL CHURCHES pray for Jerusalem in their Sunday services, in accordance with Psalm 122:6. There will be a Jerusalem Celebration on this day carried live on GOD TV around the world, but the real thrust of the initiative is on the local church level. Please BE SURE that your church is participating! To receive the FREE 2010 Prayer for Jerusalem Packet for your church, and to obtain helpful materials such as posters, prayer cards, videos, flyers, and children´s resources for your local church, go now to www.daytopray.com.

2. Sign the "Call to Prayer Resolution".

Thousands of Christians from all over the world have signed this document, calling for a day of global prayer for Jerusalem and all her inhabitants. Add your name to this growing number today. Click here to sign the "Call To Prayer Resolution". This year’s list of names will be presented to the Mayor of Jerusalem on October 3rd during the annual observance in Jerusalem.

Finally, the Jerusalem Celebration of the Day of Prayer for the Peace of Jerusalem will be carried live into 200+ nations on GOD TV. If you are in Israel at that time, please plan to join us for this celebration. If you cannot be in Israel, GOD TV will be broadcasting this event internationally, LIVE on October 3rd (broadcast schedule will be available closer to the event date). Also consider having your church link with the Jerusalem celebration of the DPPJ by viewing the event on GOD TV! Go to www.god.tv for more information.

3. Please forward this e-mail to as many people as you can.

Our goal is to reach 100 million Christians within the next 30 days with this timely message for the Body of Christ. Help us meet this goal for the Lord´s sake and for His advancing Kingdom! If you will simply take a moment right now and forward this on, especially to your pastor, close friends, and prayer partners, we can literally sound a global trumpet to bring clear focus and awareness to this urgent prayer effort. It really, really makes a difference if you will take only five minutes and forward this e-mail.

We thank you for putting action to your prayers and for taking part in seeing God´s true peace for Jerusalem unfold in this hour of history!

May the Lord´s shalom rest over each of you,

Rev. Robert Stearns
Co-Chairman, Day of Prayer for the Peace of Jerusalem

Dr. Jack Hayford
Co-Chairman, Day of Prayer for the Peace of Jerusalem

Dr. Paul Cedar
Executive Committee, Day of Prayer for the Peace of Jerusalem

The Day of Prayer for the Peace of Jerusalem

P.S. If you have not yet done so, please make sure to add your name to the thousands of Christians around the world who have signed the "Call To Prayer Resolution." Be sure to check out the free online resources as well as the DPPJ materials available in more than 20 languages.

Click here for ways to be more involved!

To order your free 2010 Prayer for Jerusalem Packet (U.S. and Canada only), click here.

For downloadable resources for use in nations and languages around the world, click here.

For DPPJ free children’s resources, click here.

Click here to sign the prayer resolution.

Click here to find DPPJ coordinators in your region.

Click here for web banners to post to your own website.

Click here to become a fan of the DPPJ on Facebook.

For more information, call the DPPJ office at 1-800-519-4647 or visit www.daytopray.com.

 

 


16 Mai 2010
Pastor Silas Malafaia Renuncia VP e se Desliga da CGADB
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Comunicações

O pr. SILAS MALAFAIA, Primeiro Vice-Presidente da CGADB - Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, anunciou em seu programa televisivo Vitória em Cristo, na manhã de hoje, transmitido pela Rede TV, sua RENÚNCIA do cargo, bem como seu DESLIGAMENTO da instituição.


SILAS MALAFAIA fez um relatório das mais recentes conquistas do seu ministério, como a inauguração das modernas instalações em séde própria da AVEC - ASSOCIAÇÃO VITÓRIA EM CRISTO, bem como da assinatura de contrato para transmissão do seu programa para cerca de 120 países, via satélite.


Na ocasião ainda, o Pr. Silas também fez um alerta à todos os evangélicos brasileiros, quanto ao cuidado e atenção que devem ter para com as próximas eleições, e a responsabilidade da próxima legislatura com relação aos projetos do poder executivo que tentam cercear a liberdade de imprensa e a liberdade religiosa no país. Para tanto fez menção do decreto que já oficializou o acordo efetivado entre o Brasil e o Estado do Vaticano, o qual concede privilégios à Igreja Católica Apostólica Romana, contrariando a condição brasileira de um país laico.


Quanto a sua renúncia do cargo e o desligamento da CGADB, disse que teria muito a falar, o que "faria com que muitos arrepiassem os cabelos", mas preferiu nada dizer e justificar sua saída, apenas com a revelação de que tem uma visão e determinação de Deus para sua vida e para a Igreja ASSEMBLÉIA DE DEUS VITÓRIA EM CRISTO, que preside. Aproveitou ainda o ensejo para também justificar em público a mudança da razão social da referida igreja, a qual até então se denominava Assembléia de Deus da Penha.


Ainda que tenha procurado ser o mais coerente possível, não deixou de alfinetar a CGADB, quanto as Assembléias de Deus que ainda dão "importância aos usos e costumes", e a atenção dispensada pela instituição à "política eclesiástica", da qual ele mesmo se considerou participante até agora, delcarando no entanto, : "estar cansado",  assumindo que não mais compensa para ele.


A bem da verdade, é justo registrar que o televangelista incentivou a todos os pastores que permaneçam em seus respectivos lugares, obedientes aos seus líderes, e que não o procurem para dar apoio a divisões e rebeliões. Declarou que a visão que recebeu de Deus é pessoal para sua vida e ministério, e não quer incentivar outros a acompanhá-lo.


Silas Malafaia incentivou ainda aos pastores simples dos mais longíquos rincões da nação, e que passam por dificuldades financeiras, a prosseguirem com o seu trabalho, pois existe apenas uma "meia dúzia" de pastores que possuem recursos financeiros e vivem bem, na qual ele próprio se incluiu, mas reconheceu que o sucesso ministerial não pode ser medido por isso, e somente Deus o pode fazê-lo. Deixou claro ainda que, está se desligando da CGADB, mas não das ASSEMBLÉIAS DE DEUS, pois é nascido e nela foi consagrado a  pastor.

Vídeos Sobre o Desligamento de Silas Malafaia da CGADB:

Vídeo 01

Vídeo 02

Fonte: Point Rhema


06 Mai 2010
Amor de Mãe - Um tipo feminino do amor de Deus
0 Comentários - Comentar  ::  Categoria: Mulher, Datas Celebrativas

Nossa Homenagem às Mães
Mensagem em áudio proferida pelo Rev. Edemar Vitorino

Por: (*) Edemar Vitorino

Clique no botão "play" para ouvir o áudio
Aguarde um minutinho pela chegada do áudio

"Como pastor, apascentará o seu rebanho;
entre os seus braços recolherá os cordeirinhos e os levará no seio;
as que amamentam ele guiará mansamente." Isaias 40:11
"Como alguém a quem sua mãe consola, assim eu vos consolarei;
e em Jerusalém vós sereis consolados. "
Isaias 66:13

Deus é Espírito, e não tem corpo como os homens... Deus é assexuado (=não tem sexo)
Aprouve a Deus revelar-se a nós como um ser masculino,
mas há também em Deus qualidades humanamente classificadas de femininas,
como os exemplos dos textos acima.
Não há na terra melhor exemplo para ilustrar o amor de Deus, do que o amor de mãe!
Sem dúvida, o amor de mãe é um tipo do amor de Deus!

Deus gera seus filhos - A mãe também gera seus filhos
Deus coloca seus filhos em seu seio - A mãe também coloca seus filhos em seu seio
Deus amamenta (ele dá o leite espiritual aos recém-nascidos espirituais)
- A mãe também amamenta seus filhos
Deus dá também alimento sólido aos filhos já desmamados
- A mãe também dá comida consistente aos filhos já crescidos
Deus toma seus filhos pela mão - A mãe também toma seus filhos pela mão
Deus guia seus filhos - A mãe também guia seus filhos
Deus consola seus filhos - A mãe também consola seus filhos ( Is 66:13 )
Deus ama seus filhos com amor incondicional - A mãe também
Deus ama seus filhos com amor eterno - O amor de mãe também é para sempre
Deus ama seus filhos, antes mesmo do nascimento
- Também a mãe ama o filho desde antes dele nascer
Deus, na pessoa do seu Filho, dá a vida pelos seus filhos
- A mãe também é capaz de dar a vida pelo seu filho
A vontade de Deus para com os seus filhos é boa, agradável e perfeita
- A vontade da mãe para
com os seus filhos também é boa, agradável, e perfeita (= é o melhor!)
Deus deseja ter os seus filhos sempre perto dele - a mãe também!

(*) Edemar Vitorino - é pastor evangélico, escritor, professor de cursos bíblicos online do "Fuel For Life Institute - FFL Institute" (EaD)... Saiba mais...

 


<< Recentes 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 11 12 13 14 15 16 17 18 19 20 21 22 23 24 25 26 27 28 29 30 31 32 33 34 35 36 37 38 39 40 41 42 43 44 45 46 47 48 49 50 51 52 53 54 55 56 57 58 59 60 61 62 63 64 65 66 67 68 69 70 71 72 73 74 75 76 77 78 79 80 81 82 83 84 85 86 87 88 89 90 91 92 93 94 95 96 97 98 99 100 101 102 103 104 105 106 107 108 109 110 111 112 113 114 115 116 117 118 119 120 121 Anteriores >>

Crônicas da Vida
Pastorais e Estudos
Eventos
Comunicações
Utilidade Pública
Humor
Reportagens
Mulher
Pesquisas & Estatisticas
Avivamento
Pedido de Oração
Datas Celebrativas
Fotos
Clips
Livros - Indicação
Missões
Ilustrações
Áudios de Mensagens
Oportunidades de Negócios


Facebook

Visitantes: 407783
Visitantes Online: 6
© Blog do Pastor - 2007 desenvolvido por